A rede de atendimento de planos de saúde cresceu mais, em termos proporcionais, que o total de clientes, entre 2009 e 2014, segundo o Iess (Instituto de Estudos de Saúde Suplementar).

O número de estabelecimentos ambulatoriais por 100 mil contratantes saltou de uma taxa de 166,1 para 222,5 (alta de 34%). O total de beneficiários cresceu 19%.

“Esse aumento não significa que não haja gargalo no setor porque a distribuição das unidades não é equânime no país”, diz Luiz Carneiro, superintendente do Iess.

A concorrência entre as operadoras de planos impulsionou a expansão, diz ele.

A ANS informou que monitora a ampliação da rede, mas que a abertura de novas unidades, sozinha, não é uma garantia de mais acesso.

Em São Paulo, a Fundação Procon disse que não há uma percepção de melhora. “Muitas das queixas ainda estão relacionadas ao descredenciamento de unidades”, diz Samantha Pavão, do órgão.

Fonte: Folha de S.Paulo

 

Deixe um comentário