O governo está decidido a propor às centrais sindicais e ao Congresso a criação da idade mínima para as aposentadorias por tempo de contribuição.

Mas para não se desgastar ainda mais, a medida deverá afetar só os novos segurados da Previdência Social.
Para a conclusão da proposta, resta a definição de qual será essa idade, que pode ser de 55 anos, para mulheres, e 60 anos, para homens, ou avançar para 60 e 65 anos, para mulheres e homens, respectivamente.
Em média, os trabalhadores do país se aposentam com 53 anos e 11 meses.

Centrais são contrárias à mudança

Deixar a conta da reforma da Previdência para futuros trabalhadores pode não ser suficiente para conseguir o apoio dos sindicatos, segundo líderes das principais centrais sindicais do país.

‘’Antes de discutir reforma, mesmo para o futuro, questionaremos a fiscalização dos sonegadores e o cálculo do déficit da Previdência, que nós não aceitamos que exista’’, disse o presidente da Força Sindical, Miguel Torres.

A vice-presidente da CUT (Central Única dos Trabalhadores) , Carmen Foro, afirma que a entidade não deverá aceitar mudanças na regra. “Não permitiremos retrocesso’’, disse.

Fonte: Agora S.Paulo

Deixe um comentário