Vacina: Governo foi encurralado pela ciência

By
Updated: janeiro 18, 2021

Com a decisão deste domingo (17) pela Anvisa, de autorizar o uso imediato das vacinas do Instituto Butantan e da Fiocruz, o governo foi encurralado pela ciência, frente à sua postura ‘negacionista’. Essa é a avaliação do médico sanitarista e ex-ministro da Saúde José Gomes Temporão, em entrevista ontem ao programa Brasil TVT.

Na manhã desta segunda-feira, mais um fato veio comprovar a tese de Temporão de que o governo Bolsonaro está encurralado. O ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, foi obrigado a desistir do calendário bolsonarista de vacinação, que iria começar na quarta-feira (20). Após pressão dos governadores, Pazuello anunciou que o processo de imunização irá ocorrer a partir de hoje em território nacional. 

 

O ex-ministro observou que um dos argumentos que a Anvisa usou para aprovar o uso da vacina e deixar o governo encurralado foi o de que não há nenhum tratamento para a covid-19. Isso, por si só, na avaliação de Temporão, derruba a postura do governo de defender remédios sem eficácia comprovada, como a cloroquina e ivermectina. “O governo está sendo empurrado pela ciência a assumir algum tipo de postura neste momento”, disse.

No início da entrevista, Temporão afirma que a autorização dada pela Anvisa “significa uma vitória da medicina, da ciência e da Saúde pública. “Depois de uma semana dramática, com a tragédia de Manaus, que nos mobilizou a todos, e depois de dias de angústia, sofrimento e perplexidade. Em uma situação limite, em que pessoas perderam a vida por falta de oxigênio, nós vivemos agora uma outra situação que é uma antítese disso”.

O ex-ministro disse que “é uma sensação de alívio, que abre uma possibilidade de esperança e uma perspectiva positiva no enfrentamento dessa doença”.

“São os paradoxos. De um lado, o ministro da saúde vai a Manaus fazer propaganda de tratamentos que não funcionam. Ele é uma espécie é de mascate de medicamentos que não funcionam, enganando a população. Ele é um dos responsáveis, pois isso cria uma falsa segurança. As pessoas acham que o medicamento é preventivo e deixam de usar máscaras. Ou não obedecem às medidas de distanciamento.”

“E hoje a Anvisa reitera o fato de que é uma das agências reguladoras mais importantes do mundo, com seu corpo técnico de altíssima qualidade, depois de um trabalho de meses de análises de milhares de documentos, tanto da vacina do Butantan quanto da vacina da Fiocruz. E autoriza o uso das duas vacinas a partir deste momento. Então agora nós abrimos uma nova perspectiva, um novo espaço porque pela primeira vez vamos ter nas mãos instrumentos capazes de mudar radicalmente o cenário traumático, depois de 210 mil mortes”, disse Temporão.

Mas Temporão adverte que também surgem dúvidas no momento. “Para fazer uma campanha de vacinação não basta ter vacinas. Você tem que ter pelo menos duas outras dimensões. Primeiro é preciso ter uma capacidade de organização. E de capilaridade para levar essas vacinas a todos os brasileiros em território nacional. Isso nós temos, todos os anos a gente vacina 80 milhões de idosos.” 

E a outra condição é ter uma grande campanha de mobilização da sociedade, “com mídia, liderança e mobilizar e esclarecer as pessoas com muita transparência. Segurança e resultado, esses são agora o nosso grande desafio. Mobilizar a sociedade brasileira para que todos, obedecendo o plano de prioridade, se vacinem. Daqui a alguns meses se tudo correr bem esse quadro vai mudar radicalmente”.

(RBA)
Foto: Rodrigo Maia/Câmara dos Deputados

You must be logged in to post a comment Login