Vacinação contra febre amarela começa a ser aplicada em todo o estado de SP a partir de fevereiro

By
Updated: janeiro 8, 2018

Vacinação irá começar nos lugares onde o vírus está circulando e, posteriormente, será realizada onde o vírus deve chegar, como no litoral de São Paulo. Imunização será feita em etapas e deve atingir todo o estado em um ano.

A vacinação contra febre amarela em todo estado de São Paulo irá começar no início do mês de fevereiro, segundo o coordenador de controle de doenças do estado, Marcos Boulos. Já foram registradas três mortes pela doença na região metropolitana. Todas as vítimas passaram pela cidade de Mariporã, que fica a 39 km da capital.

A decisão de ampliar a vacinação foi anunciada no último sábado (6) pela Secretaria Estadual da Saúde, mas, na ocasião, a data ainda não havia sido definida.

A dose da vacina será dividida para ampliar a imunização. A ideia é aplicar a dose concentrada nas áreas de risco (bairros próximos aos parques onde foram localizados macacos mortos com o vírus da febre amarela) e a fracionada nas demais regiões do estado.

A previsão é que a vacinação seja ampliada a partir do primeiro sábado de fevereiro, que cai no dia 3, mas esta data será confirmada em uma reunião nesta terça-feira (9) entre o secretário adjunto de Saúde do estado de São Paulo, Eduardo Ribeiro Adriano, com o ministro da Saúde, Ricardo Barros, em Brasília.

A vacinação irá começar nos lugares onde o vírus está circulando, mas o objetivo é que, em um ano, atinja todo o estado. Para isso, será feita em etapas.

“É a primeira vez que isso vai ser usado nessa quantidade. Existe primeiro uma validação técnica que está sendo realizada, treinamento dos recursos humanos, aquisição de materiais, o que já conseguimos, como seringas específicas. Isso está em realização e estaremos prontos no começo de fevereiro”, disse Boulos.

Além dos lugares onde o vírus já circula, outra etapa será vacinar os lugares onde o estado prevê que o vírus chegue, como o litoral de São Paulo. Isso porque o Rio de Janeiro teve casos confirmados de febre amarela, e o vírus circulava na Serra do Mar.

“A Serra do Mar segue para São Paulo, então obviamente nós esperamos que em algum momento o vírus comece a circular no litoral paulista”, afirmou Boulos.

Em todo o estado de São Paulo foram confirmados 27 casos de febre amarela desde janeiro de 2017 e 12 mortes pela doença. Os dados ainda não contabilizam a morte do morador da cidade de Guarulhos, de 69 anos, em 25 de dezembro. Um mulher está internada em estado grave no Hospital das Clínicas com a doença na capital paulista. A engenheira, de 27 anos, precisou fazer um transplante de fígado após contrair a doença.

“Nós não temos mais confirmações. Existem alguns casos em investigação e os exames estão sendo elaborados pelo Instituto Adolfo Lutz. Quando nós tivermos os resultados serão confirmados ou descartados”, declarou o coordenador de controle de doenças do estado.

Um homem internado no Hospital Leforte, na capital paulista, também teria contraído a doença, segundo familiares. No entanto, a Secretaria da Saúde não confirma o caso.

Sobe para 3 o número de mortes por febre amarela na Grande SP

Mairiporã em estado emergencial

A reunião desta segunda-feira (8) foi pedida pela Prefeitura de Mairiporã, que, segundo Boulos, está em estado emergencial.

De 13 de dezembro até hoje, a cidade teve 25 casos suspeitos, sendo que nove pessoas morreram. As mortes estão sendo investigadas e ainda não há confirmação da doença. A maior parte dos pacientes chegou ao hospital a partir de 2 de janeiro.

“Essa reunião foi muito importante porque nestes últimos dias adentrou no hospital um número muito grande de pacientes com suspeita”, disse o prefeito da cidade, Antônio Aiacyda.

O prefeito faz ainda um apelo para a população, para que busquem os postos de vacinação, que funcionam 24h na cidade da Grande São Paulo.

No encontro com o governo do estado, a prefeitura de Mairiporã solicitou uma unidade de terapia semi-intensiva, já que a cidade só tem estrutura para casos de baixa complexidade.

“Ficamos de fazer visitas técnicas para ver as condições e as necessidades ou não de ampliar o hospital”, disse Boulos. Segundo ele, “nenhum hospital” de Mairiporã tem capacidade de atender a febre amarela em seu estado típico.

Com isso, após a entrada no hospital municipal de Mairiporã, os pacientes em estado agudo estão sendo transferidos.

Segundo a secretária de Saúde de Mairiporã, Grazielle Bertolini, quem tem atendido “de pronto” as transferências é o Hospital Emílio Ribas, mas também há casos com suspeita em outros hospitais. “Estamos também com pacientes no hospital Albano de Franco da Rocha, temos paciente na saúde suplementar no município de Atibaia”, disse ela.

Veja quem pode tomar a vacina:

– Crianças a partir dos nove meses até idosos com 60 anos.

Não podem tomar a vacina:

  • Grávidas e mulheres que estão amamentando crianças menores de seis meses.
  • Doentes com câncer que fazem quimioterapia ou radioterapia.
  • Pessoas com alergia a ovos ou derivados.
  • Portadores de HIV ou qualquer doença que atinja o sistema imunológico.
  • Transplantados.

No caso dos idosos com mais de 60 anos, é preciso avaliação médica. Quem já tomou a dose da vacina contra a febre amarela tem imunidade para vida toda.

Assim como as pessoas, os primatas são vítimas dos mosquitos Haemagogus e Sabethes, encontrados na zona de mata e que costumam circular em copas de árvores, local de repouso preferido dos primatas. Quando eles são infectados e chegam a morrer, isso indica que existe a circulação do vírus no local, mas eles não podem transmitir a doença para humanos.

 

You must be logged in to post a comment Login